Me chamo Rodrigo de Castro Lopes, sou músico e engenheiro de áudio. Ganhador de um Grammy (2016, pela gravação de "Made in Brazil", de Eliane Elias) e de um Grammy Latino (2017, pela gravação de "Dance of Time", de Eliane Elias). Com doze indicações ao Grammy Latino, incluindo duas por "Melhor Engenharia de Áudio".
Comecei a estudar música aos nove anos de idade. Cursei dois anos de faculdade de física na UnB, fazendo depois vestibular para música, curso pelo qual me formei como Bacharel com especialização em piano. Anos 80, em Brasília. Estudava com Neusa França, passando depois a estudar com Ney Salgado, na UnB, e depois sendo aluno de Nise Obino. Nessa época fui correpetidor do coro do Teatro Nacional de Brasília, regido pelo maestro Silvio Barbato, e tecladista de uma banda de rock, a Banda 69, que depois participaria de uma coletânea e lançaria um LP pela CBS, com produção de Leo Jaime. 

Após concluir o curso de piano, fiz uma especialização em Engenharia de Áudio e Produção na Berklee College of Music, em Boston, onde também estudei arranjo.

De volta ao Brasil, de 1991 a 1996, trabalhei como engenheiro de masterização na Visom Digital, no Rio de Janeiro, onde participei do lançamento em CD de grandes clássicos da música brasileira. Saindo da Visom, e após uma rápida passagem pela PolyGram, trabalhei por muitos anos na Herbert Richers, primeiro como supervisor dos estúdios, depois como diretor técnico, cuidando dos estúdios, treinamento de operadores, coordenando a manutenção, e depois fazendo algumas direções musicais de dublagem, incluindo clientes como a Disney e a Warner.

Em 2000 fui trabalhar como engenheiro de áudio da gravadora Biscoito Fino, fazendo também algumas produções  (Casuarina, Clara Sverner, Gilda Oswaldo Cruz e Simone Guimarães, além de assinar a co-direção em estúdio do DVD Carioca ao Vivo, de Chico Buarque). Em 2006 saí da Biscoito Fino, permanecendo como free-lancer no Rio de Janeiro. 

Desde 2010 moro em São Paulo, e sou professor de Tecnologia na Música na faculdade Souza Lima. Trabalho também como engenheiro free lancer de gravação, edição, afinação de voz, mixagem e masterização. Além disso, tenho feito coaching e direção de artistas e bandas para gravação (Silvia Nicolatto e outros).

 

Em 2015 terminei o mestrado profissional em Didática de Práticas Musicais Interpretativas, pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, onde desenvolvi a metodologia de ensino de gravação e mixagem que aplico atualmente em meus workshops e cursos.

1/8